Primeira cerveja orgânica do país é produzida na Serra Gaúcha

Produtos orgânicos ganham cada vez mais espaço no mercado brasileiro. Conforme o Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), atualmente, já são 17 mil produtores orgânicos cadastrados. A cerveja também entrou para essa categoria. A primeira fabricante da bebida orgânica certificada do Brasil está na Serra Gaúcha, em Picada Café. Com 14 anos de atuação no Estado, a Cooperativa Agropecuária de Produção e Comercialização Vida Natural (Coopernatural) é responsável por essa novidade mais saudável.

Feita com água, malte, grãos, lúpulo e fermento, a cerveja Stein Haus dispõe de diferentes sabores, que irão variar de acordo com temperos e frutas utilizados nas receitas. Dos ingredientes básicos, apenas o lúpulo — componente que traz o amargor da cerveja — não é orgânico. O cervejeiro Tiago Genehr, 43, explica que não existe produção livre de agrotóxico deste ingrediente no Brasil.

Uma consumidora assídua da Stein Haus é a jornalista Adriane Bertoglio. Ela conta que a sua cerveja preferida é a Blonde Ale. “Como consumidora, priorizo os orgânicos, e no caso da cerveja, mantenho a mesma prática”, orgulha-se.

De acordo com o MAPA, produto agroecológico é aquele “obtido em um sistema orgânico de produção agropecuária ou oriundo de processo extrativista sustentável e não prejudicial ao ecossistema local”. O órgão só certifica uma produção como orgânica quando gerada em um solo sem contato com fertilizantes sintéticos ou pesticidas por, no mínimo, três anos.

Se atender exigências de produção requeridas pelo MAPA, o produto é aprovado e recebe o selo de certificação, que valida a comercialização em todo o Brasil. A Coopernatural passou por esse processo, que já era conhecido devido a sua produção de outros orgânicos certificados. A partir de novembro de 2015 a cerveja começou a ser comercializada.

Esse trabalho realizado pela Coopernatural contribui para o consumo de alimentos naturais e saudáveis. Ao mesmo tempo, incentiva o trabalho da agricultura familiar, segmento responsável por toda a produção da cooperativa e por movimentos como o Slow Food.

Já existem diversas pesquisas sobre os riscos dos agrotóxicos, tanto para o meio ambiente quanto para nossa saúde. No entanto, o uso desses insumos só aumenta na produção agrícola brasileira. De 2005 a 2015, o mercado de agrotóxicos cresceu 190%, segundo dados da Anvisa. O Instituto Nacional do Câncer (INCA) estima que os brasileiros consumam cinco galões de veneno por ano através de alimentos cultivados com agrotóxicos.

Produção que só aumenta

Apesar de ser produzida no Rio Grande do Sul, a demanda maior da cerveja orgânica é fora do Estado. Conforme o presidente da Coopernatural e idealizador da cerveja, Ricardo Fritsch, 48, a região Sudeste é a maior consumidora do produto. A distribuição é feita para varejos e atacados, podendo ser solicitada via e-mail.

Segundo o presidente, a maior dificuldade para iniciar a produção e, mais tarde, a certificação da cerveja orgânica, foi garantir o fornecimento da cevada sem agrotóxicos. Com a falta de demanda, nenhum produtor se interessava em cultivar o ingrediente. “Dentro do grupo, nós já tínhamos produtores de grãos e um deles se disponibilizou a produzir a cevada. Foi o que permitiu o início da produção da cerveja”, conta.

Stein Haus não é a única produção da Coopernatural, atualmente formada por 32 sócios. Além da cerveja, são comercializadas mais de 200 produtos, entre eles, geleias, feijão, arroz, linhaça, pipoca, grão de bico, fubá, farinha de milho, canjica, açúcar mascavo, melado, sucos integrais e chás. Todos são orgânicos e frutos do trabalho da agricultura familiar.

A variedade de produção e alcance nacional de vendas possibilita um crescimento contínuo da cooperativa, inclusive a inserção de novos produtos no mercado. Um exemplo disso é o refrigerante orgânico, que já está em teste para possível fabricação e comercialização. Para Fritsch, é importante seguir inovando, pois “um produto alavanca o outro”, afirma.

Fonte: Beta Redação