Pesquisa mostra recuperação gradual do emprego e renda

A taxa de desocupação caiu nos últimos três meses

A Pesquisa Nacional Por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) do trimestre abril-junho divulgada pelo IBGE nesta terça-feira (31) reforça o que o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho vem apontando mensalmente: um crescimento gradual do emprego e da renda dos brasileiros. Nos últimos três meses, caiu a taxa de desocupação e houve aumento da força de trabalho e da renda dos trabalhadores.

Taxa de desocupação

De acordo com os dados do IBGE, houve uma redução de 0,6 ponto percentual na taxa de desocupação no trimestre abril-junho de 2018 em comparação com o mesmo trimestre de 2017 (caiu de 13% para 12,4%). Com isso, houve uma redução de 520 mil pessoas desocupadas em relação ao mesmo período de 2017 (de 13,5 milhões para 13 milhões).

Ocupação

De abril a junho deste ano, segundo o IBGE, havia no Brasil 91,2 milhões de pessoas ocupadas no Brasil, cerca de um milhão de trabalhadores a mais do que no mesmo período do ano anterior, quando o número de ocupados era de 90,2 milhões. Na análise dessazonalizada, quando comparado com igual trimestre do ano anterior (que é a comparação relevante), verifica-se que o crescimento foi de 1,1%.

Renda

Segundo os dados do IBGE, o rendimento médio mensal real das pessoas ocupadas manteve tendência de crescimento, na análise dessasonalizada: passou de R$ 2.174 no trimestre de abril a junho de 2017 para R$ 2.198 na comparação com o mesmo trimestre de 2018 (aumento de 1,1%).

Fonte: Ministério do Trabalho