E-commerce deve faturar R$ 2,43 bi na Black Friday, diz Ebit

O comércio eletrônico deve faturar R$ 2,43 bilhões durante a Black Friday em 2018, crescimento de 15% na comparação com o ano passado, aponta a estimativa da Ebit. O número de pedidos pode registrar expansão de 6,4%, indo de 3,76 milhões para 4 milhões, já o tíquete médio deve chegar a R$ 607,5, alta de 8%.

Marcada para o próximo dia 23 de novembro, a Black Friday já é uma das principais datas do calendário do e-commerce brasileiro. A pesquisa aponta que 88,6% dos e-consumidores têm intenção de comprar na ocasião, alta de cerca de oito pontos percentuais com relação à pesquisa de expectativa de consumo realizada no ano passado.

O e-commerce continua como o principal canal de venda durante a data. Em 2017, 52% das pessoas entrevistadas fizeram suas compras em uma loja online e 57% delas realizaram pesquisas, na internet, dos produtos de interesse antes de concluir as aquisições.

Entre o comportamento dos e-consumidores, 46% afirmaram que vão fazer suas aquisições na sexta-feira (23) e outros 22% indicaram que preferem comprar entre os dias 24 e 30 de novembro. No apontamento, há também os 13% que preferem garimpar promoções pré-Black Friday entre os dias 16 e 22 do mês.

Apesar da proximidade com o Natal, a data não representa perigo para as vendas de dezembro, já que continua sendo, majoritariamente, usada para compras de uso próprio para 69% das pessoas.

Dia das Crianças

Uma estimativa da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) apontou que, no Dia das Crianças, o comércio eletrônico deve faturar R$ 2,1 bilhões, crescimento de 4% em comparação com a mesma data no ano passado.

A entidade estima que cerca de 7,8 milhões de pedidos sejam realizados no período de 24 de setembro a 12 de outubro, com um tíquete médio de R$ 277. As principais categorias de produtos a serem buscados na data são brinquedos, eletrônicos, itens de vestuário, equipamentos esportivos e materiais escolares.

De acordo com o presidente da ABComm, Mauricio Salvador, uma das particularidades a ser observada na data deste ano será a busca por produtos de menor valor, o que também deve ter impacto no tíquete médio das vendas.

“Mesmo apresentando crescimento em relação ao ano passado, as incertezas sobre o futuro da economia devem fazer com que os consumidores busquem produtos de valor mais baixo” avalia.

Fonte: DCI