Cientistas criam papelão de resíduo de vinho

Pesquisadores do Centro Universitário de Biotecnologia do Chile (CBUdeC) conseguiram criar papel e papelão a partir de resíduos de vinho. O produto final do projeto, que foi financiado pela FONDEF VidPaper, procurou criar uma alternativa de uso para as mais de 400 mil toneladas de resíduos do bagaço das uvas.

“O Chile produz anualmente 1.300 milhões de litros de vinho por ano, que geram cerca de 400.000 toneladas de resíduos lignocelulósicos que não são utilizados, são descartados”, diz o Dr. Juan Pedro Elissetche, pesquisador associado do CBUdeC. “Buscamos agregar valor a esses resíduos junto à nossa equipe de pesquisadores, através da produção de fibras de celulose para produção de papel e papelão, que podem ser utilizados como embalagens biodegradáveis para exportação de vinhos”, acrescenta Elissetche.

De acordo com os criadores deste papel inovador, vários estudos têm mostrado que a utilização de hastes e ramos tem várias desvantagens comparado com a compostagem, uso comum que é dado a estes resíduos, devido à sua maior composição, o que dá caráter recalcitrante e de difícil degradação, algo favorável ao objetivo de obtenção de fibras. Eles explicam que essa tecnologia um enorme potencial para uso com misturas de fibras, apontando para embalagem premium com bioproduto sustentável.

“Queríamos cobrir as necessidades do mercado em termos de sustentabilidade, tendências, reciclagem e requisitos de saúde”, diz a Dra. Carolina Puentes, também pesquisadora do CBUdeC. “Atualmente, 42% deste lixo é usado como composto, enquanto o restante é armazenado em grandes recipientes”, completa.´

Fonte: Portal do Agronegócio