Capitalização e clima ajudam produção de milho no país

milhoNa última semana, a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) projetou um recorde de produção de milho no Brasil para 49,8 milhões de toneladas na safrinha e de 80,2 milhões de toneladas para o ano interior. Um mês antes, a projeção era de 78,2 milhões de toneladas e foi elevada pela quarta vez consecutiva.

As previsões foram elevadas em função do clima, mas também por uma psicologia positiva de mercado para os produtores, segundo avaliou Steve Cachia, da consultoria Cerealpar, em entrevista ao portal americano Agriculture.com. “Em função da alta do dólar, a soja foi paga com um alto valor em Reais. O fato dos produtores estarem bem remunerados cria uma sensação de capitalização e muda a postura deles com relação a milho”, opinou Cachia.

O produtor de Itaporã, Mato Grosso do Sul, Fábio Franco também foi ouvido na reportagem assinada pelo correspondente no Brasil, Luís Henrique Vieira. Franco revelou que plantou 1.470 hectares do cereal e que, pelo menos até 10 de junho, o tempo foi bom na propriedade dele.

“Não há sem estresse hídrico e há oas chuvas distribuídas durante todo o desenvolvimento da lavoura. Estamos esperando entre 80 a 110 Sc/ha nos talhões e média de 90sc/hc.Já vendemos 30% da safra esperada,” contou Franco.

Fonte: Agrolink