Apple a serviço da pesquisa médica

celularesCom um novo pacote dedicado aos cuidados da saúde, a Apple começa a colaborar com as pesquisas médicas. Como parte de um grande esforço para ajudar os pesquisadores a saber mais sobre várias doenças como Parkinson e diabetes, a Apple anunciou no início desta semana o seu sistema para a coleta de dados de pacientes via iPhone.

O dispositivo funciona como um sensor que é mantido no bolso do usuário para que os dados sejam atualizados em questão de segundos, encurtando o tempo das pesquisas que costumam levar três meses para a entrega dos resultados.

Batizado de ResearchKit, o serviço funciona com a plataforma HealthKit da Apple. Os pacientes com certas condições podem optar por participar em vários estudos clínicos e pesquisas (diário, semanal, mensal, etc.) que podem ser avaliadas e analisadas por pesquisadores médicos. O objetivo é melhorar a saúde dos pacientes e, em última análise, a capacidade de cuidar deles.

Essas possibilidades, em teoria, poderiam ser um enorme passo em frente para a área médica. Por exemplo, os pesquisadores poderiam determinar se aqueles que vivem em áreas de maior ruído são mais suscetíveis a doenças relacionadas ao estresse ou até mesmo convulsões, e se a dieta e atividade têm um impacto significativo áreas, segundo Scott Snyder, presidente e diretor de estratégias em provedores de engajamento mobile.

Privacidade é, inquestionavelmente, um grande problema no jogo com ResearchKit. A Apple informou durante o seu evento na segunda-feira que os dados seriam enviadas anonimamente e nunca seriam vistos pela Apple. Os usuários devem optar por compartilhar ou não as suas informações pessoais.

Fonte: Mashable